Sistema de Medição para o Faturamento (SMF) – Medição Física

Sistema de Medição para o Faturamento (SMF) – Medição Física

A Medição Física é o processo de coleta e tratamento dos dados de energia dos medidores.

A verificação dos volumes de energia gerados ou consumidos é feita através da coleta de dados nos pontos de medição.

Essa coleta é feita a cada 5 miniutos, pelos medidores de energia, em KWh.

No processo de contabilização de energia duas informações fundamentais são comparadas:

o total de energia dos Contratos x energia verificada pelos medidores eletrónicos.

Os dados de medição indicam quem gerou e quem consumiu os dados de contratos indicam quem vendeu e quem comprou.

Portanto, a medição física tem papel fundamental no contexto de energia livre, uma vez que a contratação deve cobrir o total consumido, para que não haja riscos do gerador não receber os recursos caso um consumidor livre faça o uso da energia e não possua contrato atrelado.

baixar-ebook-mercado-livre-energia

Perdas não técnicas e técnicas

As perdas técnicas acontecem quando a energia Gerada é maior que a energia consumida.

Denominamos essa diferença como perdas técnicas. Por exemplo, ao ser conduzida pelos cabos, parte da energia elétrica se transforma em calor, e portanto, não gera trabalho ou não é consumida no ponto final.

A principal causa das perdas técnicas são referentes ao Efeito Jaule, provocando aquecimento e perdas na tranmissão de energia.

Perdas não técnicas: correspondem à parcela consumida e não faturada por concessionária de distribuição devido a irregularidades no cadastro de consumidores, na medição e nas instalações de consumo. O famoso “gato” que são ligações irregulares referem-se a perdas não-técnicas. Estes custos sempre estarão populando os valores de energia a serem acordados em valores finais de tarifas que serão pagos por todos os consumidores cativos.


Tratamento Regulatório das Perdas

Ele é definido pela Aneel durante o processo de revisão tarifária e permite que um percentual de perdas não técnicas seja repassado aos consumidores Cativos, o que obviamente encarece os custos de quem está nesse mercado, como as pessoas físicas e todas as empresas que não optaram ou não tem o perfil mínimo para migrar para o mercado livre de energia.Com isso, um percentual das perdas fará parte da tarifa regulada, cobrada dos consumidores cativos. 

O SMF ou o sistema de medição para o faturamento é um requisito para a migração ao mercado livre de energia.

Os medidores instalados tem ligação quase em tempo real com a CCEE, o que permite que o consumidor tenha uma gestão muito mais efetiva sobre o consumo de energia elétrica.

baixar-ebook-mercado-livre-energia
contato-interenergia