Energia Solar Fotovoltaica no Brasil

Energia Solar Fotovoltaica no Brasil

A Energia Solar é a energia que vem do sol e que é convertida em energia térmica ou energia elétrica.

A Energia Solar é a forma mais disponível das fontes de energia renovável existentes.

No Brasil, especialmente, temos uma das mais ricas fontes do mundo.

Esta tecnologia não serve somente para geração de eletricidade, mas também traz luz ou um conforto térmico mais frio ou mais quente para ambientes.

Energia Solar é uma tecnologia flexível nas leis brasileiras, podendo ser utilizadas em geração distribuída, com consumo próximo à geração, ou através de grandes plantas centrais.

Nos últimos anos, a expansão da energia solar fotovoltaica tem sido fomentada pela redução dos preços dos módulos fotovoltaicos no mercado internacional e pela maior divulgação da tecnologia.

Veja abaixo os números de instalações das diferentes fontes alternativas de energia. Onde “UFV” representa o número de unidades com sistemas de energia solar fotovoltaica.

Fonte: Aneel em 21/03/2018. Para informações atualizadas, ver em http://www2.aneel.gov.br/scg/gd/GD_Fonte.asp

É possível notar que a Energia Solar (UFV) é a mais implementada em números de instalações, bem como com a maior potência instalada.

Porém, em relação a outros países como EUA e Alemanha, o Brasil ainda está bastante afastado em termos de números de instalações de micro e mini geração distribuída.

Os fornecedores de energia solar estão trabalhando para escalar a produção e instalação, gerando assim menores custos e, ,consequentemente uma maior acessibilidade à tecnologia por maior parte da população.


Como funciona o efeito fotovoltaico?

Células solares fotovoltaicas convertem a energia do sol em eletricidade através da emissão de elétrons quando a luz solar é irradiada.

O principal insumo das células solares é o Silício, conhecido como semi-condutor e que compartilha algumas propriedades de metais e isolantes térmicos.

A Luz solar é composta por partículas chamadas de fótons que são irradiadas pelo sol.

Quando estas entram em contato com os átomos da célula solar, as mesmas transferem a energia para elétrons que estão “soltos”.

Liberar elétrons é parte do trabalho, pois é preciso juntar elétrons perdidos em uma corrente elétrica. Isso envolve a criação de um desequilíbrio elétrico dentro da célula, que atua um pouco como uma inclinação para baixo pela qual os elétrons fluirão na mesma direção.

Criar este desequilíbrio é possível graças à organização interna do silício.

Os átomos de silício são dispostos em uma estrutura fortemente unida.

Ao comprimir pequenas quantidades de outros elementos nesta estrutura, dois tipos diferentes de silício são criados: o negativo e positivo.

Quando esses dois materiais são colocados uma ao lado do outro dentro de uma célula solar, os elétrons do tipo negativo saltam para preencher as lacunas no silício do tipo positivo, criando a corrente elétrica.

A medida que os fótons destroem os elétrons dos átomos de silício, este campo os conduz de maneira ordenada, fornecendo a corrente elétrica.

Como funciona a Célula Solar?

Em um dia ensolarado, os raios do sol produzem aproximadamente 1.000 watts de energia por metro quadrado da superfície do planeta.

Se pudéssemos capturar toda essa energia, poderíamos facilmente alimentar nossas casas e escritórios gratuitamente.

As células solares são chamadas de células fotovoltaicas (PV), que, como o próprio nome diz (foto significa “luz” e voltaica significa “eletricidade”).

Essas convertem a luz solar diretamente em eletricidade. Um módulo é um grupo de células conectadas eletricamente e embaladas em uma moldura (o painel solar), que pode então ser agrupada em matrizes solares maiores.

As células fotovoltaicas são manufaturadas de materiais semicondutores, como o silício, que atualmente é usado com mais freqüência.

Basicamente, quando a luz atinge a célula, uma certa porção é absorvida dentro do material semicondutor. Isso significa que a energia da luz absorvida é transferida para o semicondutor. A energia bate os elétrons soltos, permitindo que eles fluam livremente.

Como alimentar sua indústria ou sua casa com energia solar?

Em primeiro lugar, nem todos os telhados têm a orientação correta ou o ângulo de inclinação para aproveitar ao máximo a energia do sol.

Os painéis solares também devem ser inclinados em um ângulo próximo da latitude da área possível para absorver a quantidade máxima de energia durante todo o ano.

Uma orientação e / ou inclinação diferentes poderiam ser usadas se você quiser maximizar a produção de energia para a manhã ou a tarde e / ou o verão ou o inverno.

Os dados meteorológicos fornecem níveis mensais médios de luz solar para diferentes áreas geográficas levando em consideração as chuvas e os dias nublados, a altitude, a umidade e outros fatores mais sutis.

Você deve projetar o sistema para o pior mês, para que você tenha eletricidade suficiente durante todo o ano.

Esses dados e sua demanda média irão determinar quantos módulos você precisará.

Você já pode ter adivinhado que a forma de instalação, a quantidade e para onde direcionar o sistema irão determinar a quantidade de energia a ser produzida.

Converse com um de nossos consultores para saber mais sobre a tecnologia e o planejamento para poder se tornar energeticamente independente.